Busto a Guilherme Gomes Fernandes

Da autoria de Bento Cândido da Silva (1881-1935) o busto de homenagem ao Comandante de Bombeiros Guilherme Gomes Fernandes foi inaugurado em Maio de 1915, na Praça que ornamenta desde então o nome daquele ilustre personagem portuense. A praça era designada por Santa Teresa (por ficar nas imediações do antigo Convento de Santa Teresa da Ordem das Carmelitas Descalças),  e popularmente por Praça do Pão por ali se realizar uma feira semanal de venda de pão. A bem conhecida Padaria Ribeiro situa-se naquela artéria, estando aberta ao público pelo menos desde 1878.

Guilherme Gomes Fernandes nasceu a 6 de Fevereiro de 1850 na cidade de Baía, Brasil, com 3 anos veio viver com a sua família no Porto. Dos 13  anos aos 19 estudou no Colégio de Santa Maria, em Ascott, Inglaterra, regressando à cidade em 1869. Era de família bastante abastada, um grande desportista que alcançou diversas vitórias em alguns torneios e pessoa culta, falando 5 línguas.

Fundou a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Porto a 25 de Agosto de 1875. Fundou e foi director do jornal «O Bombeiro Voluntário» entre 1877 e 1890. Organizou no Porto o 1º Congresso dos Bombeiros Portugueses em 1893. Mantinha inúmeros contactos com organizações congéneres no país e a nível internacional, gozando de grande prestígio. Foi ainda comerciante e empresário no ramo dos materiais e equipamentos para bombeiros.

Nomeado Inspector Geral de Incêndios e Comandante dos Bombeiros Municipais do Porto em 31 de Dezembro de 1885, tendo tomado posse a 9 de Janeiro de 1886. Tal corporação passou a designar-se  Corpo de Salvação Pública a partir de 1889 e Batalhão de Sapadores Bombeiros desde 1946.

Uma força por si comandada ganhou o Torneio Internacional de Londres em 1893 e no ano seguinte, alcança o 2º lugar no Torneio de Lion, França. Participa comandando uma formação no Concurso Internacional de Paris, realizado entre 15 a 18 de Agosto de 1900 e  conquista uma medalha de Ouro, a Taça de Sévres que lhe foi entregue pelo Presidente Francês e o título de campeão do Mundo, além do prémio pecuniário de 1500 francos.

Faleceu em Lisboa a 31 de Outubro de 1902.

Imagens de Illustracção Catholica, 15 de Maio de 1915., Nº98, Ano II, Braga

Anúncios