Fotografias de Artur Pastor (década 50/60)

Artur Pastor foi um fotográfo português, nascido em Alter do Chão em 1922 e falecido  em Lisboa em 1996.  Como Engenheiro Técnico Agrário ao serviço do Ministério da Agricultura por mais de 30 anos, foi responsável por mais de 10.000 fotografias de norte a sul de Portugal que constituem um importante património visual e etnográfico do Portugal das décadas de 50 e 60.

Nas posts seguintes publicam-se algumas das suas fotografias relativas à nossa cidade.

Fonte: Artur Pastor

 

 

A Venda da Flôr

Photo Azevedo. In Illustração Catholica, 5 de Maio de 1917
Imagem tirada em frente da Estação de S. Bento, vendo-se ao fundo a Igreja dos Congregados
A «Venda da Flor» (artificiais…), foi uma iniciativa da escritora Genoveva da Lima Mayer Ulrich, visava angariar fundos destinados ao apoio aos soldados acamados, feridos e doentes nas zonas de guerra. Ocorreu no dia 15 de Março de 1917 e uma segunda vez em Abril de 1918.
«O motocyclista L. Bessa Pinto comprando uma flôr a Mademoiselle Pinto da Fonseca. »
«— Os conhecidos joalheiros snrs. Serafim e Manuel Reis. comprando flores»
«O antigo industrial snr. Antonio da Silva Marinho comprando uma flôr»

As fotos de A. W. Cutler (1922)

A. W. CUTLER, é o nome de um fotógrafo que em 1922 esteve em Portugal (e na cidade do Porto) ao serviço da revista National Geographic (fundada em 1888), publicação bem conhecida pela qualidade dos trabalhos fotográficos e por ter uma dimensão jornalística de retrato de paisagens naturais e humanas, de vários lugares do mundo.

Quanto ao fotógrafo, embora exista um acervo significativo de várias reportagens em diversas partes do mundo, não encontrei referencias, nem ao seu nome verdadeiro, local de nascença ou morte.

Uma notícia de 1935, num jornal australiano, dá conta do falecimento de um Mr. A. W. CUTLER, nascido em 1875, o qual seria membro da The National Rifle Association of New South Wales e um famoso atirador, vencendo mesmo vários torneios. Apesar da semelhança do nome, não parece tratar-se da mesma pessoa, pois que no obituário nada é dito sobe a sua profissão de fotografo.

De qualquer forma, a sua passagem pela cidade do Porto ficou marcada por algumas fotografias, todas a cores (curiosamente o seu único trabalho colorido foi realizado na viagem a Portugal) que aqui se publicam: